Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos site. Ao visitar nosso portal, você concorda com esse monitoramento e com nossa Política de Privacidade.
Notícias estaduais

  • Sustentabilidade - Publicada em 30/11/2021

Agricultura paranaense aposta em sustentabilidade e inovação, diz secretário em evento

Na palestra “Inovação e Sustentabilidade na Agricultura do Paraná”, Norberto Ortigara apresentou as ações da Secretaria da Agricultura e suas vinculadas. Segundo ele, ao introduzir novidades no ambiente produtivo que resultem em melhorias na qualidade ou desempenho, o Estado fortalece a agricultura

Leia também:

Produtores e indústria de borracha natural têm novo índice de preços de importação

Ações ambientais do governo Biden impactam o Brasil

Norman Borlaug e a revolução verde não podem ser esquecidos



Por: Governo do Estado do Parana
30/11/2021

A agricultura paranaense está se tornando cada vez mais sustentável e inovadora. A afirmação foi feita pelo secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, durante o III Fórum do Agronegócio, Tecnologia e Inovação (Fati), transmitido online na noite de quinta-feira (18). 

Na palestra “Inovação e Sustentabilidade na Agricultura do Paraná”, Ortigara apresentou as ações da Secretaria e suas vinculadas. Segundo ele, ao introduzir novidades no ambiente produtivo que resultem em melhorias na qualidade ou desempenho, o Estado fortalece a agricultura.

“Ser sustentável no agro é produzir sem afetar o ambiente e as gerações futuras, fazer mais e melhor com menos recursos. A agricultura com certeza será mais bio, mais tecnológica e mais inteligente. Estamos fazendo inovação e tornando nossa agricultura um negócio plenamente sustentável”, disse.

Entre os exemplos estão iniciativas de pesquisa do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná) – como o desenvolvimento de cultivares que garantam mais produtividade nas lavouras, extensão rural e serviços automatizados de informação para os produtores; o Alerta Ferrugem – monitoramento da ferrugem asiática da soja, ferramenta que permitiu reduzir em aproximadamente 30% o uso de fungicidas na soja nas últimas sete safras; e sistemas online para controle de doenças no rebanho paranaense pela Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar). 

Programas como o Paraná Mais Orgânico, que garante orientação técnica para certificação; o Prosolo Paraná – parceria entre instituições públicas e privadas e setor produtivo para conservação do solo e da água –; e Estradas da Integração, que promove, com projetos para pavimentação de estradas rurais, a melhoria da trafegabilidade, redução dos custos de produção e conscientização da conservação de recursos naturais também são exemplos de apoio do Estado à sustentabilidade. 

ILAB AGRO – Desde 2020, está em funcionamento o Laboratório de Inovação do Sistema Estadual de Agricultura (Seagri), que inclui, além da Seab, o IDR-Paraná, a Adapar e a Ceasa. O Ilab Agro, primeira experiência do setor público brasileiro voltada ao tema agro, é mais uma das iniciativas para tornar o Paraná mais competitivo na área de tecnologia para o agronegócio, cultivando no próprio setor a ideia de inovação a partir de novas metodologias, prospecção tecnológica e capacitação.

COOPERATIVISMO – Ortigara citou ainda o programa Coopera Paraná, que fornece auxílio para organização e qualificação de pequenos agricultores, um estímulo à competitividade e geração de valor à produção.

“É um projeto inovador, no nosso ponto de vista. É usar conhecimento e capacidade técnica para ajudar essas pequenas cooperativas, que podem garantir sua estabilidade, gerando renda e empregos”, disse. O programa prevê alcance de mais de 100 das 170 pequenas cooperativas existentes no Paraná.

BANCO DO AGRICULTOR – Outra iniciativa é o programa Banco do Agricultor Paranaense, por meio do qual o Governo do Estado ajuda a alavancar investimentos com a equalização de taxa de juros em diversas atividades agropecuárias. “O Banco do Agricultor Paranaense é uma ferramenta muito importante para o processo de inovação e sustentabilidade no agro paranaense”, afirmou o secretário.

As subvenções incluem projetos de setores como agroindústria, pecuária de leite, cadeias produtivas, piscicultura, cooperativas, produção de pinhão e erva-mate, energias renováveis e irrigação. 

RENOVAPR – O Programa Paraná Energia Rural Renovável (RenovaPR), que após três meses do lançamento já tem mais 1.300 projetos sendo instalados, é um modelo de incentivo à geração de energia de fontes renováveis no meio rural, o que colabora para a redução dos custos de produção e destinação adequada de resíduos agropecuários.

“Sabemos que a energia passou a ser um insumo cada vez mais relevante nos processos agrícolas. Aproximar produtores rurais e empresas que fornecem soluções de geração de energia é inovação”, disse Ortigara.

EVENTO – Realizado desde 2019, o Fórum do Agronegócio, Tecnologia e Inovação é um espaço para integração de produtores rurais, entidades corporativas, instituições de ensino e empresários para a discussão de temas contemporâneos e de criação de oportunidades de negócios.

A 3ª edição começou no dia 18 e segue até 25 de novembro, em formato online, organizada pelo o Conselho de Desenvolvimento Econômico de Campo Mourão e a AGROi9 Incubadora, IDR-Paraná, Sebrae, Associação Comercial de Campo Mourão (Acicam), Universidade Estadual do Paraná (Unespar) e Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Familiares de Campo Mourão e Região (Coafcam).



Comentários Comente essa notícia