Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos site. Ao visitar nosso portal, você concorda com esse monitoramento e com nossa Política de Privacidade.
Notícias nacionais

  • Geral - Publicada em 30/11/2021

As soluções para o baixo consumo de alimentos benéficos à saúde no Brasil

Especialista da ISLA Sementes comenta sobre estratégias para fomentar o objetivo da ONU ao estabelecer 2021 como Ano Internacional das Frutas e Vegetais

Leia também:

Livros infantis gratuitos para ler com as crianças na quarentena

Saiba como manter uma alimentação mais saudável no inverno

Ministro Luiz Fux é eleito presidente do STF



Por: Assessoria
30/11/2021

A Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu que 2021 será o Ano Internacional das Frutas e Vegetais, com o objetivo de aumentar a conscientização sobre os benefícios nutricionais dos alimentos, que são essenciais para a saúde, e combater o desperdício. A ação reflete diretamente em empresas como a ISLA Sementes, pioneira e impulsionadora do cultivo de hortaliças, flores, ervas e temperos no Brasil e, consequentemente, de uma melhor alimentação por parte dos brasileiros.

"Definir 2021 como o ano internacional das frutas e vegetais traz uma valorização maior para a horticultura. Quando se fala em agronegócio, sempre surge como pauta a pecuária ou as grandes culturas como a soja, o milho, etc. Ver as hortaliças, produtos que sempre buscamos valorizar, ganharem mais reconhecimento, é muito gratificante", comenta Andrei Santos, Diretor de Planejamento da ISLA Sementes .

A importância do tema está principalmente no cenário brasileiro, onde é possível notar um baixo consumo de frutas e vegetais, longe da quantidade recomendável para uma vida saudável. Portanto, ainda que o feito da ONU tenha trazido mais relevância ao setor, é preciso que as empresas e os produtores agrícolas enfrentem grandes desafios para que o segmento continue evoluindo. "A semente é o menor do problemas, já que atualmente o horticultor brasileiro tem acesso às melhores genéticas do mundo. Entretanto, quando analisamos toda a cadeia produtiva na qual estamos inseridos, incluindo o produtor, a distribuição, o varejo, e o consumidor final, os desafios são enormes. O produtor precisa estar atendo a segurança alimentar e ao uso de tecnologia, a cadeia de distribuição precisa reduzir desperdícios, o varejo precisa qualificar ainda mais a sua oferta de frutas legumes e verduras e o consumidor precisa saber mais sobre a origem dos alimentos e sobre a importância de uma alimentação saudável. Assim nossa equipe da ISLA passou a se perguntar como podemos contribuir ainda mais para o desenvolvimento do setor", diz Santos.

Neste cenário, uma das maiores contribuições da ISLA Sementes está em disponibilizar um portfólio completo, com cultivares adequadas a todos os perfis de produtores e consumidores. "No início dos anos 2000, tínhamos em torno de 300 cultivares no catálogo, hoje já temos mais de 600. A nossa pretensão é chegar em aproximadamente 800 cultivares até 2025, dado o intenso trabalho que vem sendo realizado de pesquisa e desenvolvimento de novas variedades ", comenta Andrei Santos.

Outra ação fundamental da empresa é a de buscar informar e educar o produtor e o consumidor sobre os temas relevantes da Horticultura. Assim, desde 2014, através de diversas ações e do uso intenso das mídias digitais a ISLA assumiu o papel de promotora das boas práticas agrícolas e da alimentação saudável. Com a produção permanente de conteúdo relevante em diversas plataformas, a ISLA Sementes tornou-se um dos maiores promotores da horticultura no Brasil, impactando mensalmente mais de 5 milhões de pessoas. Assim, neste ano tão especial a empresa celebra a horticultura e a certeza de seguir semeando para colhermos um futuro cada vez melhor.



Comentários Comente essa notícia